Temas e notícias diversas sobre questões relacionadas com o ensino, actividades escolares, questões sociais e das novas tecnologias.
Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008
MEDIDAS

O programa e-escolas vai ser alargado aos alunos do 11º e 12º ano, abrangendo agora um total de mais de 750 mil potenciais utilizadores da iniciativa que visa distribuir computadores portáteis com acesso Internet de banda larga a alunos e professores por um preço muito abaixo do seu valor de mercado. Segundo informação do Governo estes alunos podem ainda durante este ano lectivo solicitar os equipamentos.

O alargamento do programa foi decidido hoje em Conselho de Ministros e responde a um pedido generalizado dos alunos e pais, que consideravam discriminatória a limitação aos jovens que frequentavam o 10º ano de escolaridade. Recorde-se que a iniciativa abrange ainda os professores do ensino básico e secundário e os formandos do Programa Novas Oportunidades.

Com este alargamento aos alunos do 11º e 12º ano são abrangidos no programa mais 250 mil potenciais beneficiários, o que eleva para 750 mil o número de utilizadores previsto, depois de este ter sido fixado inicialmente entre os 500 e 600 mil.

A Resolução do Conselho de Ministros de hoje prevê ainda um regime especificamente dirigido a beneficiários da iniciativa com necessidades educativas especiais de carácter permanente, garantindo-lhes o acesso a computadores adaptados, sem quaisquer encargos adicionais.



Publicado por marquesarede às 22:12
Link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008
PNL

 
 
 O Plano Nacional de Leitura (PNL) promove a Semana de Leitura, de 3 a 7 de Março, com o objectivo de criar na escola um ambiente particularmente festivo à volta dos livros que reforce a adesão dos alunos e o desejo de ler mais.

As actividades poderão ser leituras de prosa ou poesia, dramatizações, concursos, jogos e outras actividades lúdicas, decoração da sala de aula e/ou de outros espaços da escola, etc.

Para valorizar o esforço de promoção da leitura aos olhos de crianças e adultos e para criar um elemento de agradável novidade na vida da escola, é oportuno convidar pais, familiares, ou personalidades de prestígio na comunidade, como por exemplo autarcas, artistas, empresários, jornalistas, autores, etc.

Conforme a adesão e a disponibilidade dos professores e dos convidados, as escolas, incluindo as AP’s, podem participar na Semana da Leitura realizando:

• actividades nas salas de aulas (abrangendo todas ou só com algumas turmas e eventualmente convidados) e nos ATL’s;

• uma ou várias actividades colectivas (envolvendo várias turmas, professores, funcionários e convidados).

 
Para esta iniciativa do PNL a CONFAP propõe-se:
  1. Divulgar as iniciativas do PNL e das Associações na sua página e através de newsletter;

  2. Incentivar as AP’s a promoverem acções nas bibliotecas das escolas, em parceria com os professores responsáveis por estes equipamentos, assim como nos ATL geridos pelas AP’s;

  3. Incentivar os pais a realizarem, em suas casas, sessões de leitura-a-par com os seus filhos, durante cerca de 15 minutos/dia.
Como apoio a estas actividades, aqui:

   
 


Publicado por marquesarede às 21:58
Link do post | comentar | favorito

OS INOVADORES
Conferência Europeia Professores Inovadores 2008 I a participação Portuguesa
Nos próximos dias 6, 7 e 8 de Março, em Zagreb, terá lugar a 5ª edição da Conferência Europeia de Professores Inovadores.

Fernanda Ledesma, com o VCT ‘Uma Escola para a Saúde’ e Rui Batista com o projecto ‘Centro Virtual de Apoio ao Aluno’ são os professores escolhidos para participarem nesta competição de nível europeu.

A Conferência Europeia de Professores Inovadores é um evento que, desde 2004, junta professores empreendedores de toda a Europa. O principal objectivo é o de proporcionar um momento de partilha e troca de experiências a Professores Inovadores cujos projectos de ensino sejam exemplos do uso da tecnologia na sala de aula. Esta conferência é parte integrante do Programa Parceiros na Educação, – PIL – uma iniciativa de âmbito internacional da Microsoft, que no inicio do ano viu o seu prolongamento para mais 5 anos.



Publicado por marquesarede às 21:56
Link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008
GESTÃO ESCOLAR

Segundo o jornal on-line Portugal Diário, a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, e os secretários de Estado Valter Lemos e Jorge Pedreira reuniram-se dia 18 de Fevereiro com o Conselho das Escolas para analisar o projecto de Decreto-Lei aprovada em Conselho de Ministros a 20 de Dezembro de 2007, tendo sido acolhidas "a maior parte" das sugestões recebidas pelo Ministério da Educação (ME).

O ME afirmou que a versão final do diploma, a apresentar na próxima quinta-feira em Conselho de Ministros, contemplará, não só a possibilidade de ter professores a presidir o Conselho Geral, mas ainda o aumento da duração dos mandatos do director e deste Conselho, de três para quatro anos, bem como alterações na constituição do Conselho Pedagógico.

Segundo o comunicado do ME, "da reunião saiu o acolhimento da maior parte das sugestões apresentadas, designadamente a possibilidade de o Conselho Geral ser presidido por um professor, o aumento do prazo de duração dos mandatos de três para quatro anos, requisitos mais flexíveis na designação dos adjuntos do director e mais autonomia na forma de constituição e designação das estruturas intermédias, para além dos departamentos curriculares".

Especificamente no que diz respeito ao Conselho Pedagógico e segundo as declarações do ME, será criada uma comissão especializada com pais e alunos. No entanto, as competências técnicas estarão reservadas aos professores, posição advogada pelo Conselho das Escolas.

A regra do regime de exclusividade dos directores será também alterada, "no sentido de lhes permitir a participação em organizações não governamentais e actividades de voluntariado".



Publicado por marquesarede às 21:43
Link do post | comentar | favorito

GENTE PEQUENA

O Cinema São Jorge recebe, entre 29 de Fevereiro e 1 de Março de 2008, o congresso “Gente Pequena, Grande Aposta”, um projecto da Associação Lavoisier, Instituição Particular de Solidariedade Social que actua na área da Saúde Mental desde 2003.

Aqui : 
Programa do evento, que se destina também à angariação de fundos, é constituído por quatro painéis de especialistas que abordarão temas como as estratégias para lidar com birras e amuos, a alimentação, ideias para lidar com a diferença e os prós e contras das actividades extracurriculares das crianças.

Os destinatários do congresso são pais, encarregados de educação, educadores e profissionais. Se quiser saber mais sobre esta iniciativa, sobre os oradores e sobre a Associação, por favor consulte aqui:
página de Internet que lhe é dedicada pela Associação Lavoisier.



Publicado por marquesarede às 21:20
Link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008
CURSOS TECNOLOGICOS

Ministério da Educação


Altera a Portaria n.º 550-A/2004, de 21 de Maio, que aprova o regime de organização, funcionamento e avaliação dos cursos tecnológicos de nível secundário de educação, com as alterações introduzidas pela Portaria n.º 260/2006, de 14 de Março

em PDF aqui:

 

Portaria n.º 207/2008, D.R. n.º 39, Série I de 2008-02-25



Publicado por marquesarede às 22:06
Link do post | comentar | favorito

Domingo, 24 de Fevereiro de 2008
CONVIVER na ESCOLA


 
Aprender a Conviver na Escola
Miguel Santos Guerra
Colecção: Em Foco
Nº págs.: 160 
 
Preço: EUR 2,50
Editor: Edições Asa(com IVA 5%)
    Do que falamos quando falamos de convivência na escola? Como melhorar e trabalhar a convivência escolar, de forma a evitar conflitos, indisciplina e a violência escolar? Em que ponto está a convivência na escola? Estaremos perante uma degradação desta, tendo em conta os relatos de violência escolar que se sucedem? É a estas questões que vários especialistas espanhóis em educação, como Miguel Santos Guerra, Xesús Jares e José António Marina, procuram responder neste livro onde se faz a resenha de toda a questão da convivência.


Publicado por marquesarede às 11:14
Link do post | comentar | favorito

A NÃO PERDER

Educação

Quem tem razão?
A Ministra ou os Professores?
Maria de Lurdes Rodrigues e os professores frente-a-frente no
Prós & Contras da RTP1
Avaliação e desempenho profissional!
O modelo de gestão das escolas!
Segunda-feira à noite, a Ministra da Educação enfrenta os professores no maior debate da televisão portuguesa.



Publicado por marquesarede às 11:03
Link do post | comentar | favorito

Sábado, 23 de Fevereiro de 2008
SOFTWARE LIVRE
Nasceu a Associação Ensino Livre. Esta Associação "tem como finalidade promover a utilização de software livre e a produção de conteúdos livres nos processos de aprendizagem, nomeadamente ao nível do sistema de ensino".


Publicado por marquesarede às 21:40
Link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008
48MB

Foi lançado o concurso público internacional que permitirá ligar as escolas à Internet em Banda Larga de Alta Velocidade.


Todas as escolas do 5.º ao 12.º ano terão pelo menos 48Mbps como velocidade de acesso à Internet. Multiplica-se por mais de 10 a velocidade actual de acesso à Internet destas escolas e antecipa-se em 2 anos a concretização de uma das principais metas do Plano Tecnológico da Educação.

O concurso lançado ontem  20 de Fevereiro permitirá ainda ligar em banda larga de alta velocidade todos os serviços centrais e regionais do Ministério da Educação. Concretiza-se, assim, o projecto de interligação de escolas e organismos do Ministério da Educação numa rede alargada da comunidade educativa. Fica aberta a porta para a prestação de serviços de voz, video e tv sobre a rede do ME.

A Internet de Alta Velocidade permitirá abolir a duplicação de contratos de acesso à Internet actualmente existentes em centenas de escolas.

Estima o Ministério da Educação que a contratação do acesso à Internet ao abrigo deste Concurso Público Internacional permitirá poupar até cerca de 20% dos actuais custos com a Internet suportados pelas escolas.


Anuncio do concurso publicado no JOUE, de 22 de Fevereiro de 2008 [PDF - 66,76 KB]



Publicado por marquesarede às 21:03
Link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008
DISCUTIR VIOLÊNCIA

4ª Conferência Mundial sobre Violência nas Escolas e as Políticas Públicas

23/25 . June. 2008

LISBON. Portugal

Fundação Calouste Gulbenkian

http://www.gulbenkian.pt

O Instituto de Apoio à Criança em cooperação com a Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa vai organizar em Lisboa no dias 23, 24 e 25 de Junho de 2008 a “4ª Conferência Mundial sobre Violência nas Escolas e as Políticas Públicas".

Esta Conferência Internacional, que decorrerá na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, está integrada no plano de actividades do Observatório Europeu de Violência na Escola (www.ijvs.org), bem como de outros parceiros de outros países.

O Observatório Europeu organizou com êxito a 1ª conferência em Paris (2001), a 2ª conferência na cidade do Québec (2003) e a 3ª conferência em Bordéus (2006).

Estas Conferências Internacionais têm mobilizado uma ampla rede internacional de investigadores de diversas disciplinas científicas e instituições relacionadas com o estudo e projectos de intervenção da violência no meio escolar.

O título e tópico central da conferência será “Violência nas Escolas: a Violência em Contexto?


Publicado por marquesarede às 22:15
Link do post | comentar | favorito

LEITURAS

A Lógica dos Burros - O Lado Negro das Políticas Educativas
Autor: Gabriel Mithá Ribeiro
Professores, alunos, pais, políticos, analistas, pessoas interessadas na qualidade da vida pública — é vasto o universo dos directamente afectados ou preocupados com o sistema de ensino.
Gabriel Mithá Ribeiro, uma figura atenta à realidade do ensino em Portugal, que tem colaborado em diversas publicações, aponta o dedo a áreas cruciais sistematicamente ignoradas ou mal geridas por sucessivas tutelas. Refere-se o autor, entre outros domínios, ao controlo ideológico do ensino pelo lóbi dos «cientistas da educação & associados»; à indisciplina crescente; ao facilitismo nas avaliações; ao que considera imbecilidades curriculares; à burocracia estupidificante; à gestão caciquista das escolas; ao excesso de número de alunos por turma; à desvalorização da componente académica ou científica em favor da pedagógico-burocrática na preparação dos docentes; ou ao experimentalismo pedagógico irresponsável e recorrente.
Mas o autor não se limita a criticar posturas que considera roçar a irresponsabilidade por parte de quem governa a educação. Mais do que isso, elabora um programa estruturado, assente em argumentos e propostas coerentes, tendo em vista transformações de fundo no ensino.
Por todas essas razões, este é um livro indispensável a todos os pais, professores, educadores, alunos, políticos e cidadãos conscientes.

Gabriel Mithá Ribeiro, autor do best-seller «A Pedagogia da Avestruz», é professor de História do 3.º ciclo do ensino básico e do secundário (7.º ao 12.º anos de escolaridade) há mais de quinze anos, tendo leccionado em escolas da Margem Sul do Tejo. É a partir dessa experiência que vem escrevendo sobre o ensino, experiência acumulada com o percurso de investigação no ISCTE em pós-graduações em pensamento social sobre política na área dos Estudos Africanos (onde também tem obra publicada).
 


Publicado por marquesarede às 21:53
Link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008
COISAS DA VIDA


Publicado por marquesarede às 22:50
Link do post | comentar | favorito

REFLEXOS E REFLEXÕES
Crónica
A Torrente Legislativa
Paulo Guinote
Não sei se existe um calendário apropriado para legislar. Parece quem em Portugal qualquer altura é boa para tal actividade e que o fazemos de forma extremamente prolífica.
No entanto, julgo ser de senso comum que deveria existir algum cuidado na forma como se desenvolvem certos pacotes legislativos que enquadram actividades com calendários específicos. E também penso ser exigível uma mínima razoabilidade e exequibilidade no que se relaciona com os prazos previstos para que determinadas leis entrem em vigor.
A Educação é uma actividade que obedece a um calendário com características próprias a que se chama “ano lectivo”. Começa a 1 de Setembro de cada ano civil e não a 1 de Janeiro. Cada anolectivo necessita de planeamento e preparação atempada. As Escolas e os agentes educativos aoprepararem cada ano lectivo devem estar na posse dos elementos mais relevantes para fazerem umaadequada planificação do seu trabalho, sendo que essa preocupação visa principalmente o sucessoescolar dos seus alunos. Em circunstâncias normais, seria de pensar que quando se preparamreformas legislativas na área da Educação os respectivos responsáveis políticos tivessem isso em
atenção.
Que dialogassem na medida do possível quanto às medidas a aplicar, o que não significa
necessidade de abdicarem totalmente das suas posições.
Que divulgassem os diplomas em tempo útil e com um calendário que permitisse a sua
aplicação nas melhores condições possíveis.
Infelizmente não é o que, em muitas circunstâncias, se passa e com este Governo e esta equipa no Ministério da Educação se tornou regra absoluta. Parece que nas Escolas se vive de acordo com o ano civil e Janeiro é o mês preferido para despejar leis, decretos, portarias, despachos e toda a restante panóplia de documentos menores (ofícios, circulares e ofícios-circulares). Sem um cuidado mínimo em esclarecer devidamente se existem períodos e regimes transitórios ou como é que se podem mudar regras quase a meio de um ano lectivo.
Foi assim em 2007 com a publicação do Estatuto da Carreira Docente, que tinha implicações na assiduidade dos docentes, mas não só.
É assim este ano com uma verdadeira saraivada legislativa, já em letra de lei ou projecto, cobrindo áreas desde a avaliação dos docentes ao enquadramento dos alunos com necessidades educativas especiais, não esquecendo a proposta de alteração do regime jurídico da administração e gestão dos estabelecimentos de ensino não-superior.
É absolutamente incompreensível que se legisle sem qualquer respeito pelo ritmo de funcionamento das escolas e pelo trabalho de alunos e professores. E que os pacotes legislativosse sucedam um pouco entre a estratégia do work in progress e a manta de retalhos.
Em termos muito concretos, os dois diplomas recentemente publicados (Decreto-Lei 3/2008 e Decreto Regulamentar 2/2008) na viragem do Ano Novo levantam imensas reservas em termos não apenas de forma como de conteúdo. Um cai nas Escolas, revogando o conhecido 319/91 sem especificar qualquer tipo de normas transitórias e prazos de aplicação. Alguém se esqueceu de colocar lá um artigozinho a explicar se todas as suas medidas são para aplicar já ou no próximo ano lectivo. O outro aparece com prazos perfeitamente aberrantes quanto à exequibilidade da sua aplicação na generalidade das escolas e agrupamentos.
Alguém acredita que seja possível em 30 dias colocar em marcha mecanismos de avaliação de 140.000 docentes?
Haverá nas Escolas e Agrupamentos a coragem para exercer o direito à resistência
consagrado no artigo 21º da Constituição da República Portuguesa, perante a falta de razoabilidade do que lhes é exigido pela tutela?
Será que o Conselho de Escolas, que foi criado a partir de cima, demonstrará a sua
capacidade de representar efectivamente as Escolas?
Mas o “mais” interessante é que isto ocorre ao mesmo tempo que se coloca em discussão pública, por um único mês e sem um calendário claro de negociação com os “parceiros” tradicionais ou outros, uma proposta de novo regime de gestão escolar que parece querer fazer-se passar como facto consumado.
Só que esta é uma questão demasiado importante para ser resolvida em duas ou três reuniões à porta fechada, sem efectiva discussão pública e sem que sejam demonstradas quer a necessidade de alteração do regime vigente, quer a efectiva bondade das propostas apresentadas como praticamente indiscutíveis.
Ora o projecto do Ministério da Educação em matéria de gestão escolar suscita enormes dúvidas formais e substantivas:
Desde logo a forma como desrespeita claramente a Lei de Bases do Sistema Educativo (artigos 46º e 48º) no que se relaciona com a composição e competências do futuro Conselho Geral.
Em seguida o modo como pretende abafar o escrutínio público do projecto,
apresentando o projecto a discussão por um curto período de tempo, coincidente com a tal torrente legislativa sobre as Escolas, diminuindo a capacidade de intervenção no debate de muitos dos potenciais interessados.
Para além disso, o projecto proposto pelo Ministério da Educação é feito sem a
apresentação de qualquer avaliação formal e rigorosa do regime em vigor e sem
estudos que demonstrem a adequação das medidas agora propostas como obrigatórias e que antes eram facultativas. Pelo contrário, os resultados da avaliação externa dasescolas realizada pela IGE indicam que a sua esmagadora maioria é bem ou muito bemgerida de acordo com os próprios parâmetros definidos pelo ME.
Há que ser claro: este projecto não vem colmatar qualquer necessidade sentida na generalidade das comunidades educativas e, em nome de uma alegada «autonomia» impõe um figurino único à administração dos estabelecimentos públicos de ensino. Assim como em nome da«abertura às comunidades» apenas reforça aspectos que na legislação em vigor não foramaproveitados, ou foram claramente recusados por aqueles que agora se quer colocar a definir osdestinos das escolas. O que é um manifesto benefício dos infractores.
O problema não é o modelo unipessoal de direcção, nem a participação do poder local e das famílias, nem sequer a questão da autonomia, que já eram possíveis de acordo com o Dec-Lei 115/98.
O problema é a opção por um modelo formalista, restritivo, mas ao mesmo tempo potenciador de uma completa desregulação do sistema público de ensino que apenas tenderá a agravar fenómenos de desigualdade, quebra de solidariedade e fragmentação desse mesmo sistema, organizado em unidades atomizadas num país cuja dimensão territorial e demográfica não justifica tal opção.
A Educação já sofreu em Portugal imensos maus-tratos ao longo dos tempos.
Era tempo de existir um mínimo de pudor e deixar que os seus destinos fossem definidos por quem tem dela uma mera visão instrumental ao serviço de uma construção estatística da realidade, ou melhor, de uma manipulação estatística da realidade.


Publicado por marquesarede às 22:48
Link do post | comentar | favorito

Domingo, 17 de Fevereiro de 2008
FORMA DE VÊR

Preocupam-me os critérios que se utilizam para selecionar os conhecimentos que se transmitem na escola. E preocupa ainda mais a atitude dos professores que têm que administrar essa complexa, difícil e sensível tarefa.  Considero repudiável a atitude cínica de quem ridiculariza os alunos que não aprendem ou que o fazem a um ritmo mais lento ou irregular. Certamente concordarão que existem muitíssimas coisas (mesmo assuntos) que os professores não sabem. É que, a não ser assim, teríamos de ridicularizar igualmente o cientista que na sua sabedoria específica, esbarraria em ignorância absoluta em muitas das parcelas do saber. O que de demérito se pode imputar aos alunos, a não ser fazerem parte do crescimento natural, na assimilação das sabedorias transmitidas pelos mais velhos. É mais que provável e nem é necessário recorrer a estatísticas, que muitos desses alunos agora sentados perante o seu professor o vão superar em conhecimentos e destreza dentro de pouquíssimos anos. Será apenas uma questão de tempo e algumas oportunidades. O conhecimento académico tem ou pelo menos deveria equivaler, ao uso prático da vida. Mas decidir o que deverá ser útil para a vida, para compreender o mundo, para ter uma profissão, ou mesmo para ser feliz, é discutível, pelo menos no que toca a alguns conhecimentos e saberes que se ensinam e se aprendem na escola. E além de mais, tem igualmente um discutível valor para uma verdadeira e justa atribuição de qualificação futura. Resumir que, a quem demonstre haver adquirido os conhecimentos, se concede uma qualificação de APROVADO, NOTÁVEL ou EXCEPCIONAL, é de facto, uma decisão injusta. Quantos são aqueles que lecionam numa escola , cujo valor de uso dos conhecimentos foram adquiridos apenas ou derivados da escola?

Quando me chega ao conhecimento que um professor "goza" com a ignorância de um aluno, que em lugar de o animar e ajudar, o despreza de forma arrogante, medito no que sucederia se no currículo oficial estivessem integradas outras matérias, saberes e habilidades diferentes daqueles que actualmente fazem parte dos mesmos currículos.

 

Como exemplo cito:

 

Fazer exercícios malabaristas com patins em linha em estilo pós moderno,

Praticar de forma hábil o snowboard sobre uma tábua rasa e descer em slalom por uma montanha gelada abaixo,

Fazer Windsurf em dias de vento vigoroso numa praia aberta ao mar,

Dançar durante horas a fio ritmos trepidantes numa discoteca a abarrotar,

Fazer "cavalinhos" sobre uma mota a uma estonteante velocidade,

Enviar mensagens a uma velocidade diabólica através do telemóvel,

Navegar num chat simultâneamente com vinte pessoas,

Fazer Parapente atirando-se vertiginosamente do cimo de uma montanha,

Conduzir uma moto de agua a uma velocidade elevada em dias de forte ondulação,

Jogar on line na Playstation 2 ou 3 com um adversário intrincado,

Construír verdadeiros mundos on-line através do Second Life,

e por aí fora...

 

É inaceitável numa sociedade moderna que hajam professores que persistem em determinadas atitudes de ridicularização, comparação e humilhação aos seus alunos.

Alguns dirão: Mas todas essas actividades nada têm que vêr com os conhecimentos ou as destrezas intelectuais. Direi, e depois? 

O currículo bem que podia incluír a aquisição das competências ou habilidades de outra natureza para além daquelas que normalmente se pedem. Os alunos consideram geralmente que aquilo que se pede em matéria de conhecimentos para o futuro e que têm de estudar é inútil e aborrecido. Que as matérias que outros decidiram para que eles as aprendam, não possuem qualquer interesse. Teremos que repensar sériamente sem depreciar o estritamente fundamental para os saberes do futuro dos nossos alunos, se,  o desporto, conjuntamente com as habilidades físicas não podem ser mais úteis para a vida, para se divertirem e mesmo para terem sucesso num grupo de semelhantes.

Imaginemos que todos teríamos os mesmos mestres e que esses mestres fossem cruéis, cínicos e actuassem de uma forma prepotente, agressiva e humilhante. Com as mesmas exigências quer fossem novos ou velhos, homens ou mulheres, obesos e anoréticos, saudáveis e enformos e assim sucessivamente.

Para exerçer o ofício de ensinar fazem falta a humildade a paciência e o compromisso.

Os profissionais displicentes, autoritários, cabem perfeitamente na definição que um dia Oscar Wilde fez do cínico. " Uma pessoa que conheçe o preço de tudo e o valor de nada".

Seria pedir muito se fossem mais humildes???

 

extraído, traduzido e adaptado do texto original de Miguel Ángel Santos Guerra

aqui:El Adarve



Publicado por marquesarede às 11:58
Link do post | comentar | favorito

FORMAÇÃO E MATEMÁTICA
 

 Image 

ImageImage 


F I C H A   D E  D I V U L G A Ç Ã O  (PDF)

 

Apresentação

Este curso de formação pretende partir da resolução de problemas e da exploração de actividades de investigação em matemática, integrando tecnologias apropriadas (a folha de cálculo, um ambiente de geometria dinâmica, applets e aplicações para os quadros interactivos) como uma mais-valia na aprendizagem dos alunos. A elaboração de um conjunto articulado de tarefas curriculares a experimentar em sala de aula e o correspondente relato, constituirão produtos da formação. Uma plataforma de gestão de aprendizagem a distância (moodle) constituirá o suporte de desafios, materiais, interacções e um espaço de reflexão.

Destinatários

Professores de Matemática que leccionem no 3º Ciclo, preferencialmente envolvidos no Plano da Matemática (acompanhantes e outros).

Duração

25 horas (4 sessões presenciais + 4 sessões a distância)  correspondentes a 1 crédito

Locais de realização

Setúbal (Escola Superior de Educação) e Barreiro (EB 2,3 de Álvaro Velho)

Horário e datas

O curso decorre entre 4 de Março  e 31 de Maio

Sessões presenciais:

Setúbal
1ª sessão  -  4 de Março, das 17:30 às 20:30 (Terça-feira)
2ª sessão - 1 de Abril, das 17:30 às 20:30 (Terça-feira)
3ª sessão - 17 de Abril, das 17:30 às 20:30 (Quinta-feira)
4º sessão - 31 de Maio das 9:30 às 13:30 (Sábado) 

Barreiro
1ª sessão  -  4 de Março, das 17:30 às 20:30 (Terça-feira)
2ª sessão - 3 de Abril, das 17:30 às 20:30 (Quinta-feira)
3ª sessão - 22 de Abril, das 17:30 às 20:30 (Terça-feira)
4º sessão - 27 de Maio das 17:30 às 21:30 (Terça-feira)

Pré-requisitos

Conhecimentos básicos de Informática,  acesso à Internet e condições na escola para utilizar tecnologias com alunos.

Critérios de selecção

1º) professores acompanhantes do Plano da Matemática;
2º) professores integrados no Plano da Matemática;
3º) outros professores de Matemática

Nota: Em caso de empate, privilegia-se a existência de grupos de, pelo menos, dois professores por escola.


Formadores: 

José Duarte, João Torres e Elvira Santos

 

F I C H A   D E  D I V U L G A Ç Ã O  (PDF)

 

Outros locais de realização da formação

Centro de Competência da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Centro de Competência da Universidade de Évora


Centro de Competência da Beira Interior

Centro de Competência da Escola  Superior de  Biotecnologia da Universidade Católica - Porto

Centro de Competência EDUCOM - Algarve

Centro de Competência Softciências - Coimbra 



Publicado por marquesarede às 11:54
Link do post | comentar | favorito

EDUCAÇÃO FISICA



Colóquio "A Especificidade da Supervisão na Educação Física, Treino Desportivo e no Exercício e Bem-Estar", na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, a realizar no dia 23 de Fevereiro de 2008, pelas 9h3m, no Auditório Agostinho da Silva.

PREÇÁRIO:
- Estudantes - 5€;
- Outros Profissionais - 10€;
- Professores das Escolas da rede de estágio da ULHT - Grátis;
- Sócios da SPEF - 5€

INSCRIÇÕES PARA:
Universidade Lusófona – Departamento de Educação Física, Desporto e Lazer
Ao c/ de Isabel Llorente
efd@ulusofona.pt
Tel: 217 515 500 – Ext. 2249
Fax: 217 515 544
www.ulusofona .pt


Publicado por marquesarede às 09:55
Link do post | comentar | favorito

PRÁTICAS DE DESENVOLVIMENTO

 

Um excelente livro de síntese sobre o Desenvolvimento Curricular da autoria de Maria Ivone Gaspar e Maria do Céu Roldão (Lisboa: Universidade Aberta, 2007). Conceitos, paradigmas, fases e níveis de desenvolvimento, as diferentes modalidades do currículo em acção são alguns dos tópicos. Indispensável para todos os professores que exercem funções de orientação e supervisão.


Publicado por marquesarede às 09:21
Link do post | comentar | favorito

TEMPO INTEIRO

O Governo vai alargar ao segundo ciclo o conceito de «escola a tempo inteiro» que introduziu na antiga primária, reorganizando o horário e o currículo, nomeadamente através da concentração de disciplinas.
O modelo será muito semelhante ao do primeiro ciclo, sendo remetidas para «o final do dia» as actividades de enriquecimento curricular ligadas às expressões e ao estudo acompanhado, de forma a «concentrar na parte lectiva o essencial das actividades associadas à aquisição de competências básicas».

 

Não deixa de ser estranho que esta tomada de decisão (espero que não passe de um equívoco plano de intenções) – a redução do número de horas a atribuir à disciplina de Educação Física e ao Desporto Escolar – ignore as recomendações do Parlamento Europeu que Exorta os Estados-Membros a modernizar e melhorar as suas políticas em matéria de educação física, principalmente para que haja um equilíbrio entre as actividades físicas e intelectuais durante o período escolar (...) e convida os Estados Membros a apoiar a exigência de aumentar o tempo lectivo consagrado à educação física (...)”.

 

Seria deplorável que , o ME viesse a escamotear a relevância do domínio motor e corporal na escola.


fonte:  A educação nas gavetas “valterianas”...



Publicado por marquesarede às 09:15
Link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

INVERSÃO DOS TEMPOS

avaliação dos professores

 

do blog: Fliscorno   um excelente e acutilante local de leitura



Publicado por marquesarede às 08:32
Link do post | comentar | favorito

Posts recentes

EVENTOS

SONHAR

MEDIAÇÃO E PSICOTERAPIA N...

RESPONSABILIDADES

QUALIFICAR

ESTUDAR A EDUCAÇÃO

ELEGER

DESEMPENHO

FUSÕES

ESTADOS D'ALMA

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Posts recentes

EVENTOS

SONHAR

MEDIAÇÃO E PSICOTERAPIA N...

RESPONSABILIDADES

QUALIFICAR

ESTUDAR A EDUCAÇÃO

ELEGER

DESEMPENHO

FUSÕES

ESTADOS D'ALMA

Arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Links
subscrever feeds