Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ALCOCHETADAS

Temas e notícias diversas sobre questões relacionadas com o ensino, actividades escolares, questões sociais e das novas tecnologias.

ALCOCHETADAS

Temas e notícias diversas sobre questões relacionadas com o ensino, actividades escolares, questões sociais e das novas tecnologias.

30
Abr07

Adolescentes e Depressão


marquesarede

Raiva, irritabilidade, perda de energia, mudanças de humor. A lista de sintomas da depressão prossegue, quase imparável, à semelhança de uma doença que afecta cada vez mais pessoas em todo o Mundo. E nem os mais pequenos escapam. Em crianças e adolescentes o problema foi durante muito tempo negado. Hoje, é uma realidade, com a discussão a centrar-se na melhor forma de tratamento.

De acordo com um novo trabalho realizado por investigadores do Instituto e Clínica Western de Psiquiatria de Crianças e Adolescentes de Pittsburgh, nos Estados Unidos, os benefícios de receitar antidepressivos de nova geração, como o Prozac, aos miúdos superam os riscos apontados por vários estudos, que os acusam de aumentar os pensamentos suicidas.

“O que determina o risco de suicídio não é a medicação, mas sim a doença”, confirma o psiquiatra Carlos Filipe, para quem a notícia agrada mas não constitui novidade. “Associar o risco de suicídio aos medicamentos é enviesar a discussão. Estamos a trabalhar com uma situação em que se pergunta: e se não se tratar, quantos se vão suicidar e ficar com a vida em risco e alterada?”

BENEFÍCIOS VS RISCOS

Os especialistas norte-americanos fizeram a revisão de um total de 27 trabalhos, sete dos quais não analisados pela agência que controla o mercado dos medicamentos naquele país, a FDA, responsável por ter lançado em 2003 a polémica ao forçar os fabricantes dos antidepressivos a colocarem no folheto informativo dos medicamentos a indicação do risco de suicídio entre crianças e jovens.

Ao todo, nos trabalhos revistos participaram 5310 menores tratados com oito marcas diferentes de medicamentos antidepressivos, todos com o mesmo princípio activo. E enquanto as conclusões da FDA apontavam para que dois em cada cem menores sofriam com pensamentos suicidas, a nova investigação reduziu o número a um menor em cada centena. “Em comparação com o placebo [substância neutra] os antidepressivos são eficazes na terapia da depressão infantil e nos transtornos de ansiedade”, concluem os autores do estudo.

Carlos Filipe explica que nas situações muito graves de depressão “a pessoa pode estar tão deprimida que nem para acabar com a vida tem força”. Há depois do início da medicação um momento em que pode existir o risco aumentado de suicídio, quando a pessoa já recuperou um pouco a força, o suficiente para pôr termo à vida. “Mas cada caso é um caso e tem de se fazer uma avaliação clínica da situação.”

O QUE É

A depressão é uma doença mental que afecta milhões em todo o Mundo, crianças incluídas, tendo sido considerada a principal doença psiquiátrica dos tempos modernos. Estima-se que quatro a sete por cento dos miúdos seja afectado pelo problema.

SINTOMAS

- Mudanças de humor

- Redução das actividades e do interesse

- Distúrbios do sono dificuldade em adormecer ou em se levantar de manhã

- Perda de energia física e mental

- Perda ou aumento de peso

- Ansiedade

- Pensamentos mórbidos

- Pessimismo e negativismo

- Queixas frequentes de dores no corpo sem razão aparente

- Raiva e irritabilidade

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

O diagnóstico da depressão numa fase inicial é muito importante por forma a prevenir problemas mentais numa idade mais avançada. Falar com um especialista é o ideal, no caso de a criança manifestar os sintomas da depressão. O tratamento pode passar pela administração de medicamentos, assim como por diferentes formas de terapia, entre elas a terapia familiar.

CAUSAS DA DOENÇA

FACTORES PSICOLÓGICOS

Dizem os especialistas que apresentam depressão as crianças e adolescentes que vivem sob tensão, em ambientes familiares ou sociais violentos, com doença, violência familiar e social, vítimas de abandono, morte, abuso sexual, etc.

FACTORES GENÉTICOS

São diferentes as teorias que apontam para as causas da depressão, mas muitos defendem que as crianças com situações de depressão na família têm maior risco. Há quem diga que se pode herdar uma certa predisposição.

FACTORES BIOLÓGICOS

Há alterações no sistema neuroendócrino que podem justificar os problemas depressivos. Os que apresentam desordens cerebrais sofrem de depressão porque os mesmos químicos e processos estão envolvidos em ambas as patologias.

SUICÍDIOS AUMENTAM

“O suicídio é um trágico problema de saúde pública no Mundo. Há mais mortes por esta causa do que pela soma dos homicídios e guerras.” As palavras são de Catherine Le Galès-Camus, subdirectora geral da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo os dados desta organização, são cada vez mais as pessoas que em Portugal decidem pôr fim à vida, com as taxas mais altas assinaladas no Sul do País – Alentejo e Algarve. Em 2002 a taxa fixou-se em 11,7 pessoas por cada cem mil.

Carla Marina Mendes, Exclusivo Correio da Manhã / El Mundo

     
27
Abr07

SEGURANÇA


marquesarede

Todas as escolas públicas vão ter, a partir do próximo ano lectivo, um delegado de segurança, que será um professor do Conselho Executivo com formação específica e com a missão de garantir as “melhores condições” de prevenção de incidentes e de promoção da segurança, anunciou ontem, em Leiria, o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos.

Sempre que haja incidentes ou situações preocupantes, o delegado de segurança deve relatá-las às forças de segurança e introduzi-las no sistema electrónico de recolha de informações – uma base de dados existente nas escolas que padroniza as agressões, encaminhando-as para a Equipa de Missão para a Segurança Escolar, chefiada pela intendente Paula Peneda, e disponibilizando-as nos serviços dependentes dos ministérios da Administração Interna e Educação.

A figura do delegado de segurança já existe “em algumas escolas”, mas a partir do próximo ano lectivo será “alargada aos 1400 agrupamentos”, explicou Valter Lemos, revelando que as questões de segurança vão integrar um “módulo obrigatório” das aulas de Formação Cívica.

A “segurança nas escolas é uma questão que tanto nos preocupa”, disse o governante, ressalvando que não se deve confundir a indisciplina com a insegurança – “estão associadas, mas não são a mesma coisa”. Na sua opinião, as escolas “são dos locais públicos mais seguros do País”, mesmo as que estão inseridas em zonas problemáticas.

Valter Lemos falava na apresentação da campanha, ‘Na Escola com Segurança’, do Governo Civil de Leiria, que contou ainda com a presença do secretário de Estado da Administração Interna. Ascenso Simões destacou a aposta do seu ministério no programa Escola Segura, que desde 2006 envolve 600 agentes por dia, apoiados em 300 viaturas e 160 motociclos e está presente em 11 mil escolas. Quando foi lançado, há 15 anos, o programa abrangia apenas 18 estabelecimentos de ensino.

Quanto à campanha ‘Na Escola com Segurança’, o governador civil de Leiria, José Miguel Medeiros, revelou que irá envolver 15 mil alunos dos 2.º e 3.º ciclos de 40 escolas do distrito, que nos próximos dois meses, nas aulas de Formação Cívica, irão abordar os problemas da violência e da insegurança, em conjunto com os professores e elementos das forças de segurança.

Segundo José Miguel Medeiros, “a escola deixou de ser vista e sentida como um local seguro”. Por isso, tem de “adaptar a sua organização curricular de forma a garantir uma abordagem adequada” da temática da violência e das suas causas, já que os “actos de violência física, ameaças, furtos, provocações e vandalismo em ambiente escolar começam a fazer parte do dia-a-dia de alunos e professores.

24
Abr07

Qualidade Escolar


marquesarede

  

Nos dias 3, 4 e 5 de Maio de 2007, os Centros de Formação de Associação de Escolas (CFAE) vão realizar no Centro Cultural Vila Flor, Guimarães, o IX Congresso Nacional subordinado à temática “Formação Contínua e Qualidade da Escola”.

Os Centros de Formação, com cerca de 15 anos de actividade, são reconhecidos pelo Ministério da Educação, pelas escolas, pelos professores e pelos demais actores educativos, como estruturas essenciais do sistema educativo. São, por ventura, das estruturas mais enraizadas nas comunidades locais e mais leves da administração pública, dado o reduzido número de pessoal permanente em funções. Tendo sido criados com o objectivo de organizar e promover a formação contínua de professores e de outros profissionais da educação, têm assumido funções diversificadas, desde a formação de pais ao trabalho em rede e ao apoio a projectos de inovação nacionais e internacionais. Destaca-se também o seu envolvimento na criação de Centros de Competência e de Centros de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (Novas Oportunidades).

Neste Congresso vão privilegiar-se os seguintes objectivos:

 

  • Reflectir sobre o trajecto da Formação Contínua;
  • Analisar criticamente as políticas de educação/formação ao longo da vida;
  • Analisar o impacto da formação na educação em geral e no ensino em particular;
  • Evidenciar diferentes olhares sobre o percurso formativo dos CFAE;
  • Reflectir sobre a profissionalidade docente numa escola com múltiplos desempenhos;
  • Construir respostas inovadoras que contribuam para o desenvolvimento educativo/ formativo das instituições e das pessoas;
  • Apresentar propostas de futuro para “um novo fôlego” na consolidação dos CFAE.

 

Como é óbvio, os destinatários principais serão os directores dos centros de formação, os membros das comissões pedagógicas, os assessores e formadores, os consultores de formação, os membros dos conselhos executivos e pedagógicos das escolas, os investigadores, os técnicos de educação, os autarcas, os avaliadores, o pessoal docente e não docente das escolas, avaliadores externos da formação e as estruturas nacionais e regionais do Ministério da Educação.

Ao longo de três dias, passarão pelo Auditório do Centro Cultural Vila Flor prestigiados especialistas e investigadores no domínio da educação em geral e da formação em particular. É o caso, entre outros, dos Professores Sérgio Machado dos Santos, Licínio Lima, João Formosinho Sanches, José Augusto Pacheco, Conceição Castro Ramos… Contamos também com a presença de membros do governo, que tutelam a área da Educação.

Os Centros de Formação, tendo subjacente à sua constituição os princípios da territorialização, do associativismo e da autonomia pedagógica, apesar das suas limitações funcionais, têm demonstrado a força das dinâmicas que representam enquanto associações de escolas. Em termos europeus, os CFAE são organizações inéditas, porque mais próximas das preocupações dos professores e das escolas. Tem sido sua missão primordial proporcionar aos professores uma formação contextualizada e vocacionada para o dotar de competências e de conhecimentos cabais, que lhes permitam encontrar resposta para a sua responsabilidade de ensinar aos alunos a aprender e a enfrentar as contradições na sociedade em que vivem.

 

Para localizar o local do Congresso no Wikimapia clique aqui .
 

24
Abr07

Vilolência


marquesarede

Um relatório da Assembleia da República sobre violência nas escolas recomenda a criação de uma "Comissão de Segurança" em cada estabelecimento de ensino, constituída por representantes de alunos, professores, pais, pessoal auxiliar e forças de segurança.

O documento, que será hoje apresentado na Comissão de Educação, Ciência e Cultura contém as conclusões de um grupo de trabalho sobre aquele fenómeno, apresentando recomendações e sugestões de iniciativas legislativas.

Ao nível da organização e funcionamento das escolas, o relatório recomenda ainda "mais autonomia" para as escolas e professores e a integração no projecto educativo das escolas de acções de prevenção de comportamentos de risco e mediação de conflitos.
 
Formação de mediação de conflitos para professores

Outra das propostas do documento, redigido pela deputada do PS Fernanda Asseiceira, prende-se com programas de formação para professores, que contribuam para o desenvolvimento de competências de gestão e mediação de conflitos, bem como estratégias preventivas de comportamentos de indisciplina e agressividade no contexto escolar.

Recomenda-se ainda o alargamento da utilização do cartão electrónico individual a todas as escolas, a implementação do livro de ponto electrónico e da ficha electrónica de ocorrências, "para que permita um conhecimento objectivo e rigoroso das várias situações que ocorrem em meio escolar".

Ao nível da relação com a comunidade, autarquias e ministério, o relatório sugere a articulação entre diferentes estruturas como Comissões de Protecção de Crianças e Jovens, Comissões Municipais de Educação, Conselhos Locais de Acção Social e Conselhos Municipais de Segurança.

Quanto às agressões a professores, recomenda-se a sensibilização da comunidade educativa para proceder à sua comunicação ao Ministério Público e a consolidação "junto dos agentes educativos, do reconhecimento da agressão em contexto escolar como crime público".

Os perigos das novas tecnologias

O relatório alerta ainda para os perigos das novas tecnologias: "Hoje muitas crianças e jovens passam horas diante de consolas de vídeo, da televisão e agora também com os telemóveis ou na Internet. A violência que lhes está acessível está recheada de acções e de sensações".

Tendo em conta a defesa dos jovens face a conteúdos violentos ou pornográficos, acrescenta, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social e o Provedor do Telespectador deverão ter um papel importante.

Propostas legislativas

O documento, que será enviado ao presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, ao ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, e à ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, contém ainda um conjunto de propostas legislativas.

Recomenda-se ao Governo que legisle sobre a organização e gestão das escolas, ao nível da autonomia e das competências, e sobre o reforço da componente do acompanhamento psicológico e da orientação.

"Reforçar a instalação, aplicação e utilização dos meios electrónicos nas escolas, como forma de informação, comunicação e prevenção da segurança de pessoas e bens, com plena garantia dos direitos e liberdades dos vários agentes educativos", é uma das iniciativas legislativas propostas no documento.

Outra das medidas que o relatório recomenda ao Governo é a aposta "na requalificação de espaços e equipamentos escolares degradados, na construção de novo s que evidenciem requisitos promotores de ambientes seguros e estilos de vida saudáveis".

Quanto às escolas localizadas em contextos socio-económicos desfavorecidos e com maiores índices de insegurança, o relatório sugere condições de contratualização que permitam o devido apetrechamento de meios, equipamentos e recursos.

23
Abr07

E como vamos de TV???


marquesarede

Mais de três horas e meia de televisão por dia foi quanto os portugueses maiores de três anos viram, nos primeiros três meses de 2007, segundo dados da Marktest Audimetria/MediaMonitor. As crianças foram o grupo que menos televisão consumiu e os mais idosos os mais fortes consumidores, a fazer fé nas medições do audímetro. Comparativamente com o período homólogo de 2006, os indivíduos pertencentes aos grupos sociais mais pobres baixaram um pouco no tempo gasto com o pequeno ecrã. Em contrapartida, o segmento etário dos 25-34 anos foi aquele que, em igual período, maior subida registou.
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

23
Abr07

Como vamos de leitura?


marquesarede

O número de leitores, em Portugal, cresceu 58% na última década, segundo dados da Marktest, apresentados hoje no Público. É verdade que, como escreve Inês Nadais, a jornalista autora da peça, a informação disponível não nos diz (ainda) o que se anda a ler - isso virá em dois estudos mais aprofundados que serão conhecidos até ao Verão - mas o facto, em si mesmo, já é positivo, num país sobre o qual se costma dizer que “lê pouco”. E lê. Basta dizer que - e passamos para a metade meio vazia do copo - ainda não vamos além dos 37 por cento. Uma minoria, portanto.
Photo Sharing and Video Hosting at Photo
[Critério utilizado pela Marktest: leitura de pelo menos um livro no mês anterior]
23
Abr07

CONGRESSO


marquesarede

III Congresso Infanto-Juvenil sobre Sustentabilidade

congres_sust_infantil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O III Congresso Infanto-Juvenil sobre Sustentabilidade decorre no dia 25 de Maio de 2007 na Estação Agronómica Nacional (Oeiras), com o Alto Patrocínio Dra. Maria Cavaco Silva.

Depois da duas primeiras edições do Congresso Infanto-Juvenil sobre Sustentabilidade, este ano o trabalho com as crianças e jovens, à semelhança dos anos anteriores, incidirá de forma geral nas temáticas ambientais, e de modo particular, nas áreas da Cidadania e Tecnologias de Informação e Comunicação, integrando a Estratégia da CEE/ONU para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS).

A inscrição é gratuita e podem inscrever-se jovens, pais e professores.

Os objectivos do encontro são:

- Contribuir para a implementação da Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável

- Proporcionar uma percepção integrada dos problemas ambientais, fomentando atitudes e comportamentos favoráveis à promoção de um desenvolvimento sustentável

- Contribuir para a formação de cidadãos conscientes da gravidade e do carácter global dos desafios do desenvolvimento sustentável, sensibilizando-os para a participação na tomada de decisões adequadas

- Promover competências profissionais no âmbito da Educação Ambiental, contribuindo para a articulação de projectos inter-escolas em temáticas transversais

Os temas centrais do encontro são: 

  • Educação Ambiental e TIC
  • Saúde e Desporto
  • Cidadania e Direitos Humanos
  • Energias Renováveis

 

23
Abr07

IDEIAS QUE MUDAM O MUNDO


marquesarede

 

 

O projecto educativo da Bayer, «Ideias que Mudam o Mundo», entra na segunda edição com cerca de 15 mil alunos e 622 professores de 177 escolas, a nível nacional.
O desafio para 2007 tem como tema «Cidades Sustentáveis: Soluções Procuram-se!», sendo que o objectivo é que os jovens do 3º ciclo identifiquem um problema da cidade onde vivem e apresentem soluções científicas e/ou tecnológicas para torná-la sustentável.

Este projecto educativo propõe a reflexão sobre os avanços da ciência, e a forma como as aplicações nos diferentes domínios tecnológicos contribuem para fazer progredir o mundo e melhorar a vida de todos. Os temas centrais são: alimentação, ambiente, comunicação, desporto, espaço, habitação, saúde e transportes. Com esta base, os alunos criam uma infografia com memória descritiva, onde apresentam o problema da cidade e a solução encontrada.
23
Abr07

UM Computador por Criança


marquesarede

 

Marcelo Tosatti diz que há falta de interesse político
Marcelo Tosatti diz que há falta de interesse político
O brasileiro Marcelo Tosatti, um dos mentores do projecto One Laptop Per Child - Um Computador por Criança (OLPC), disse sexta-feira na Guarda que a medida poderia ser aplicada em Portugal caso o Governo tomasse uma decisão nesse sentido. "Qualquer país pode sair beneficiado [com a adesão ao projecto] e Portugal também", afirmou à Agência Lusa Marcelo Tosatti, engenheiro de software da empresa RedHat, dedicada ao projecto OLPC.

:: Ler mais...
22
Abr07

DIA MUNDIAL DO PLANETA TERRA


marquesarede

Celebra-se hoje o Dia Mundial da Terra. Resultando da convocatória, em 1970, pelo senador norte-americano Gaylord Nelson, de um dia de protesto nacional contra a poluição, que se generalizou a outros países duas décadas depois, o Dia é um excelente pretexto para nos recordarmos dos seus problemas e das nossas responsabilidades.

E hoje o dia até convida a apreciar as naturezas do planeta.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

ASSOCIAÇÕES

PESQUISAS

MAPAS

OUTROS PAISES

DESANUVIAR

ECOLOGIA

EDUCAÇÃO

ÚTEIS

MEDICINA E SAUDE

LEGISLAÇÃO

INSTITUIÇÕES

OUTROS BLOGS

METEOROLOGIA

ORGANISMOS OFICIAIS

MOTORES BUSCA

COMUNICAÇÃO SOCIAL

TRADUTORES

ALCOCHETE

SECOND LIFE

Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D