Temas e notícias diversas sobre questões relacionadas com o ensino, actividades escolares, questões sociais e das novas tecnologias.
Sexta-feira, 16 de Março de 2007
AVALIAÇÃO esse fantasma...

Avaliação é uma palavra que causa arrepios em muitas escolas. Os estudantes, os professores e os pais sofrem ao ouvir que o período de avaliações está por perto. Mas, o que se quer provar com as provas de avaliação?
Avaliação mensal, oral, semanal, relâmpago, processual, auto-avaliação, seja qual for o nome que se inventar para esse instrumento de análise ao conhecimento do aluno, a avaliação possui o mesmo objetivo: o da verificação. Verificar se o aluno aprendeu, avançou, paralisou, conquistou ou superou. Mas, para que avaliar?
Avaliar para superar um estágio, para avançar, para progredir. E de que maneira, especificamente? Como e para quem a escola quer que o estudante comunique o que aprendeu? O processo de avaliação, tal como vivemos no nosso ensino e como ainda é vivido em muitas escolas, é um processo de aferição de conhecimento, de diagnóstico, de manutenção das estatísticas dadas pelos resultados periódicos da avaliação. A avaliação escolar fechada e directiva é um instrumento parecido com os exames hospitalares. Separa-se o que se quer examinar, matérias ou órgãos, prepara-se o tipo de exame específico e, por fim, aplica-se e avalia-se os resultados. Medica-se, se necessário, ou se dá alta.
A avaliação, dentro do espaço escolar, deve dar um passo além dos modelos examinatórios propostos. Devem-se multiplicar as perspectivas de avaliação.

Sabemos que a avaliação do estudante deve ser contínua e ampla, mas  também que abra a possibilidade de novas perspectivas. A avaliação deve estar preocupada em possibilitar expressões diversas, deve ser um instrumental pessoal que sintetize, organize e expresse as relações que cada um estabeleceu com o conhecimento. 
Os professores, devem meditar  e entender que serão sempre incapazes de rastrear exactamente o que o aluno aprendeu sobre o assunto ou conteúdo estudado. Avaliar é possibilitar e atribuir sentido à comunicação.

O que acontece, na maioria das escolas e na própria concepção de avaliação, é que a mesma é sempre realizada ao fim de um percurso, de forma restritiva, recortada e valorizando apenas a escrita (no caso das provas) e a moral (no caso do processo confessionário da auto-avaliação). A avaliação procura "capturar" um determinado conhecimento do estudante sem levar em conta a forma como aquele conhecimento pode ter modificado seu pensamento ou como ele se associa a outros saberes.

Quem já não passou por momentos na infância em que foi obrigado a cumprir uma prova dos saberes acumulados durante um período e, justamente no dia de se submeter á prova sentiu aquela dor de barriga? Pensando na dor,  se desconcentrou e esqueceu de conferir as respostas. Conclusão: ZERO.
Quando ampliamos os instrumentos de avaliação, possibilitamos que o aluno expresse as múltiplas associações que foram produzidas a partir de um conhecimento. Isso é formação, isso é saber! Para formar, é preciso  um outro tipo de relação com o tempo. É necessário alargar e atribuir outro sentido ao tempo, tanto nas relações com o processo de trabalho quanto na relação estabelecida com os produtos desse trabalho.
A avaliação vem para nos dizer: siga esse caminho, tome essas providências, mas, na verdade, o caminho já está traçado! Ampliando e produzindo diferentes e novas perspectivas, abrimos fissuras, escapes e caminhos de fuga para que não nos aprisionemos em modelos antigos que limitam e barram as diversas possibilidades do saber.
Sem dúvida nenhuma a avaliação é fundamental na escola. Não para a manutenção de um aluno, com prazo de validade, aquele que existe enquanto durar a escola, mas para produzir um estudante, capaz de interagir, aprimorar, produzir, inventar e associar conhecimentos. Um indivíduo que não se contente com a escola, mas sim que vá para além dela... ou, em alguns casos, apesar dela.



Publicado por marquesarede às 18:17
Link do post | comentar | favorito

Sala de aula: um espaço em transformação.

Quando refletimos sobre o espaço da sala de aula, imediatamente pensamos em ambientes ordenados, com mesas e cadeiras em filas rigorosamente dispostas. Raramente nos dispomos a aplicar à sala de aula outros conceitos que ajudem a redefinir esse espaço extremamente importante no processo de ensino-aprendizagem.

No entanto, o próprio conceito físico de espaço tem sofrido profundas modificações ao longo da história. Para Descartes, por exemplo, matéria e espaço eram idênticos, onde existisse um, existiria o outro. Newton, apesar de acreditar em influências que poderiam ocorrer à distância (a força da gravidade), defendia ser o espaço algo absoluto, intocável e independente de qualquer observador. Em outras palavras, não lhes importava quem ou como se estava olhando, o espaço compreendido e sentido era o mesmo para todos.

Entretanto, Einstein derrubou esses conceitos. Segundo ele, o espaço não teria mais esse carácter absoluto e intocável; a sua percepção mudaria conforme o observador. Logo, não seria mais pré-determinado, mas resultado da construção da mente humana e, portanto, sujeito a constantes alterações e interpretações.

Mas o que tudo isso tem a ver com a sala de aula?

Por mais estranho que possa parecer, a idéia do que deve ser a sala de aula também passou por uma evolução semelhante à que ocorreu com o conceito físico de espaço. Inicialmente, era apenas um lugar onde alunos e professores se encontravam, mas no qual pouca ou nenhuma interação ocorria. Todos deveriam ver-se e sentir-se, nesse ambiente, da mesma maneira.

Conforme os paradigmas educacionais se alteravam, também essas idéias se transformaram e a sala de aula, gradualmente, deixou de ser vista como um espaço frio e rigidamente determinado, muitas vezes utilizado para intimidar e censurar. Passou-se a encarar esse ambiente de forma mais dinâmica e interactiva, uma vez que professores e alunos começaram a intervir na sua construção. Superou-se a idéia do absoluto, no qual o espaço compreendido e sentido era o mesmo para todos, e investiu-se no conceito de que cada indivíduo percebe o entorno de forma diferente.

Essa nova concepção não permite, portanto, que se pense na sala de aula como um ambiente constituído apenas por mesas, cadeiras e pessoas rigidamente dispostas. Agora a sala de aula deve ser um espaço reservado à ponderação e à transformação. Ele deve ser "vestido", de maneira a adquirir um significado, resultado de uma reflexão sobre as diferentes experiências daqueles que são os principais elementos desse espaço privilegiado: alunos e professores.

Entretanto, esta não é uma tarefa fácil; pois ao se decidir intervir nesse espaço se estará enfrentando a incerteza de se estar a fazer de forma correcta. Ao se "vestir" a sala de aula com novos significados e interesses, arrisca-se, de que, para o outro, essa visão seja completamente diferente. Assim, pode-se questionar: será que cartazes nas paredes serão capazes de transmitir essas novas idéias? Ou o melhor são paredes vazias, pois estas permitem que a imaginação voe livre e sem amarras?

Vamos refletir, então, sobre quais significados queremos dar à nossa sala de aula, compreendendo que a incerteza faz parte da experiência diária e que, portanto, não existem respostas prontas. Afinal, correr riscos faz parte do jogo da vida, sem eles ela não seria nada interessante.



Publicado por marquesarede às 17:30
Link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 15 de Março de 2007
Ténis com GPS integrado à venda em Maio

A partir de Maio estarão à venda nos Estados Unidos uns ténis com um sistema de localização por satélite (GPS), uma invenção que, segundo o seu criador, poderá salvar muitas vidas, noticia a Lusa.

Para Isaac Daniel, um engenheiro de 38 anos, os sapatos com GPS integrado vão permitir ajudar a encontrar crianças perdidas ou doentes desnorteados por sofrerem de Alzheimer. Uma peça do tamanho de uma pulga integrada sob a sola dos ténis permite localizar o seu proprietário em qualquer sítio do mundo.

Estes ténis com cores aciduladas estarão disponíveis a partir de Maio ou Junho por 350 dólares (cerca de 265 euros), estando prevista uma linha para crianças a partir do Outono.

Estes ténis deverão também enviar um sinal de alarme a uma pessoa, definida previamente, em caso de perigo. O sistema funciona graças a uma bateria que se recarrega por um conector mini-USB.

Daniel tem ainda em projecto a ideia de criar sapatos com telefone, utilizando a tecnologia de transmissões sem fios bluetooth.



Publicado por marquesarede às 19:17
Link do post | comentar | favorito

Incentivos

Jovens vão receber «mesadas» de incentivo ao estudo em função da região

O apoio financeiro aos jovens que estejam à beira de abandonar precocemente a formação escolar será diferente em função da região onde vivem, tendo em conta o acordo assinado entre os ministérios do Trabalho e da Educação e os parceiros sociais.

De acordo com «Jornal de Notícias» desta quinta-feira, as localidades onde o abandono seja mais frequente e onde os empregadores procurem trabalhadores com poucas qualificações, como as do Ave e Sousa, vão concentrar uma maior fatia desses apoios.

 

Esta medida, integrada na reforma da formação profissional e que pretende reduzir a saída precoce do ensino de 4 em cada 10 jovens anualmente, só não foi assinada pela CGTP, que apelidou o acordo de «insuficiente».

Ainda sem valores revelados, o «JN» avança também que os apoios serão investidos preferencialmente em formação de dupla certificação e que os patrões também vão receber formação. O novo modelo de financiamento da formação profissional insere-se no Programa Operacional para o Potencial Humano, que conta com uma dotação de 5,5 mil milhões de euros.



Publicado por marquesarede às 18:41
Link do post | comentar | favorito

Férias da Páscoa

 
As Férias com Ecologia e Multimédia constituem uma iniciativa que resulta da parceria entre a QUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza e a FDTI – Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação e para ocupação de tempos livres durante os períodos de férias escolares destinada, maioritariamente, a crianças e jovens dos 8 aos 14 anos.
As Férias com Ecologia e Multimédia permitem, a quem participa, fazer novos amigos e explorar o mundo das tecnologias de informação e comunicação de forma divertida, lúdica e educativa e, em simultâneo, sensibilizar para as questões ambientais, abordando temas como a Água, a Energia, os Resíduos, a Floresta, entre outros.
Os conteúdos base incidem sobre os módulos formativos de FrontPage 2003 complementados com actividades de natureza ambiental e lúdico-educativas asseguradas, respectivamente, pela FDTI e pela QUERCUS.

Conteúdo Programático
Os conteúdos das Férias com Ecologia e Multimédia são assegurados pela FDTI e pela QUERCUS.
Pretende-se que haja um forte cruzamento entre ambos os conteúdos, para que os participantes apliquem nos momentos assegurados pela FDTI os conhecimentos transmitidos pela Quercus.

Neste contexto e na generalidade, o conteúdo do curso ministrado pela FDTI, incluirá:

Criar sítios Web/ Ecologia e Multimédia
• Noções básicas de WWW;
• Fases de criação de um site;
• O FrontPage 2003;
• Gestão de Sites;
• As Ferramentas de Gestão do FrontPage;
• Os modos de vista de Web site e de página;
• Publicação;
• Gestão de Páginas;
• Edição de Páginas;
• Instalação de dispositivos multmimédia (Câmaras fotográficas, Webcams)
• Captura de imagens e vídeos a partir de dispositivos multimédia;
• Impressão de imagens
• Trabalhar com imagens;
• Outros elementos multimédia;
• Gestão da estrutura de navegação do site;
• Hiperligações;
• Barras de navegação;
• Personalizar e definir o layout do site;
• Tabelas HTML simples;
• Modelos Web dinâmicos;
• Componentes Web;
• Extenções de servidor de FrontPage 2002;
A cada formando será entregue um manual de FrontPage 2003 da linha editorial da FDTI.

Conteúdos assegurados pela QUERCUS
• Módulo I – Introdução às Questões Ambientais – 3h30m
• Módulo II – A Água – 3h30m
• Módulo III – A Energia – 3h30m
• Módulo IV – Os Resíduos – 3h30m
• Módulo V – A Floresta – 3h30m


Destinatários

Crianças e jovens dos 8 aos 14 anos.

Carga Horária

Para as Férias da Páscoa 2007, as acções previstas têm a duração de 35 horas (7 horas por dia), durante 5 dias úteis. Estão concebidas para ocupar os tempos livres, a tempo inteiro, no horário das 9h00m às 17h30m.

Locais das Acções
As acções decorrem nas Delegações Distritais/Regionais
- Lisboa
- Castelo Branco
- Madeira (Funchal)

Calendarização

Esta iniciativa decorrerá durante o período de férias da Páscoa, de 26 a 30 de Março.

Preço
São disponibilizadas duas versões:
• Formação sem almoço:

• Formação com almoço:

O preço inclui:
- formador;
- manuais;
- consumíveis,
- certificado;
- seguro de acidentes pessoais;
- almoço (opcional).

Informações e inscrições

QUERCUS: 217788474 e educacaoambiental@quercus.pt

FDTI: 272 323 703 e ddcbranco@fdti.pt



Publicado por marquesarede às 14:03
Link do post | comentar | favorito

I Encontro Ibérico de Educação Ambiental

I Encontro Ibérico de Educação Ambiental

23-24-25 Março 2007 • Auditório da Escola Superior Agrária de Coimbra • Coimbra
A realização do Iº Encontro Ibérico de Educação Ambiental urge da necessidade de se conhecer a realidade da EA em Portugal e Espanha, quer a nível local, nacional, transfronteiriço, quer no ambito associativo, empresarial, ou estatal.


Introdução


“A Educação Ambiental tem sido para a Quercus um instrumento de trabalho emergente da sua actividade natural, apresentando-se ambas, portanto, umbilicalmente ligadas.”
Um dos objectivos centrais da Quercus é a conservação da Natureza, sendo a Educação Ambiental fulcral para a defesa do ambiente, contribuindo para inverter as tendências de desordenamento do território e destruição da riqueza biológica.

Objectivos


O Iº EIEA tem como objectivos:

• Conhecer a realidade da EA nos dois Paises;
• Troca de Experiências;
• Criar parcerias;
• Juntar todos os intervenientes na EA;
• Fomentar a continuidade deste evento.

“Educação Ambiental à solta em Coimbra”,  tem como objectivo a realização de diversas oficinas de educação ambiental por diversas entidades.”

Este evento destina-se a  Associações, Formadores, Docentes, Alunos, Empresas, Autarquias e para todos os interessados na Educação Ambiental.

Inscrições

estudante: € 35
não estudante: € 50

inclui: coffee-breaks, documentação, almoço de sábado, visita guiada à Mata da ESAC, animação cultural

Descarregue aqui a ficha de inscrição.

Secretariado

coimbra@quercus.pt
telecópia
239491240
telemóveis
91 955 64 80
93 428 47 23
96 126 59 47



Publicado por marquesarede às 13:48
Link do post | comentar | favorito

Dia do Pai-Eventos

                                                  

17 Março

Dia do Pai

Os pais e filhos que optarem passear pelo Freeport durante o fim-de-semana de 17 e 18, poderão tirar gratuitamente uma fotografia de família como recordação deste dia especial
.



Publicado por marquesarede às 13:31
Link do post | comentar | favorito

Dia do Pai-Eventos



Tazz - Bowling Grátis

Um desafio de bowling gratuito entre pais e filhos é a iniciativa que o Tazz, no Freeport, propõe no próximo Domingo, 18, de modo a antecipar e assinalar o Dia do Pai.

A partir do meio-dia, pais e filhos poderão usufruir gratuitamente das seis pistas que o espaço tem para oferecer e disputar amigavelmente – um jogo de bowling.

 



Publicado por marquesarede às 13:26
Link do post | comentar | favorito

Agenda 21 Escolar(parte 2)
A AGENDA 21 ESCOLAR EM DEZ BREVES PASSOS
1. Garantir o apoio do conselho executivo
2. Introduzir o conceito no projecto educativo de escola
3. Constituir um grupo de trabalho nuclear (com elementos internos e externos à escola)
4. Realizar reuniões de sensibilização sectoriais: encarregados de educação, auxiliares, professores, alunos
(apresentação, auscultação de pontos positivos e negativos, compromisso) 
5. Realização do Primeiro Fórum Escolar
(apresentação dos dados recolhidos, dar prioridade aos problemas, assinar
compromissos da sustentabilidade)
6. Realizar o diagnóstico selectivo em grupos de trabalho distintos 
7. Realização do Segundo Fórum Escolar
(apresentação dos dados recolhidos, dar prioridade aos temas, “chuva de ideias” para o plano de acção)
8. Elaborar fichas de acção em grupos de trabalho distintos (o grupo depende da realidade da escola…)
9. Grupo de trabalho nuclear compila os dados do Plano de Acção (idealmente deve haver apresentação do plano de acção, votação final nas acções a desenvolver)
10. Implementação & Avaliação



UM GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DA A21E

1. TEXTO INTRODUTÓRIO

2. O CONTEXTO EM QUE SURGE A AGENDA 21 NA ESCOLA
Um breve historial da Educação ambiental e do conceito de Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável na Europa e em Portugal 

3. AGENDA 21 NA ESCOLA: DO CONCEITO À PRÁTICA
O importante papel da escola
A Agenda 21 na Escola em pequenos passos



A A21E é um processo que procura reforçar o envolvimento dos jovens, encarregados de educação, pessoal não docente e professores nos destinos da escola e na sua busca de sustentabilidade. Os princípios do Eco-Escolas baseiam-se na A21E. No entanto, a A21E tal como é hoje em dia desenvolvida no âmbito do Eco-Escolas, tem algumas lacunas na implementação prática no dia-a-dia das escolas. Estas revelam-se principalmente na pouca relevância dos processos participativos alargados à comunidade e na falta de tratamento de aspectos sociais e económicos no diagnóstico e plano de acção. O Eco-Escolas está hoje em dia extremamente conotado com ambiente. A A21E deve ir mais longe e associar-se de forma clara à cidadania activa e à sustentabilidade local. Assim, a A21E é um processo fundamental nas escolas com visão de futuro. O que se propõe, dada a grande relevância do programa Eco-Escolas, quer a nível nacional, quer internacional, é um reforço do programa Eco-Escolas introduzindo na sua prática os processos participativos e a análise de questões sociais e económicas, além das ambientais. Deste modo, potenciam-se as vantagens do programa Eco-Escolas (reconhecimento, acesso ao Eco XXI, etc.) e eleva-se a qualidade do trabalho realizado nestas escolas.

pdf  agenda21ascolarVERSUSecoescolas 91.87 Kb




COMO É QUE A AUTARQUIA PODE APOIAR AS SUAS ESCOLAS NO PROCESSO DE A21E?
1. Fornecendo instrumentos de trabalho e apoio para os educadores de todos os níveis de ensino que tenham a visão de futuro, o espírito inovador e o empenho pessoal imprescindíveis para implementar a Agenda 21 na Escola.
2. Acompanhando e apoiando os trabalhos estando presente em reuniões
3. Organizando eventos de troca de experiências


Publicado por marquesarede às 10:22
Link do post | comentar | favorito

AGENDA 21 Escolar(parte 1)
A Agenda 21 Escolar (A21E) é um processo que se relaciona directamente com a educação para a sustentabilidade. É uma adaptação dos princípios, definição e objectivos da Agenda 21 Local, sendo que neste caso a comunidade alvo é a escola. Na comunidade escolar uma A21E concretiza-se da seguinte forma: professores e educadores, alunos, funcionários, pais, conselho executivo, e algumas entidades externas como a junta de freguesia, alguma organização não governamental local, a câmara municipal, entre outros parceiros, simultaneamente envolvidos na criação de um “Plano de Sustentabilidade” para a escola. Reuniões multidisciplinares, divisão de tarefas por área de competências, trabalho de campo, sensibilização, realização de questionários, diálogo permanente entre os vários grupos até se desenhar e implementar o “Plano de Sustentabilidade”.
 
composicaoimagensagenda21escolar

OBJECTIVOS PRINCIPAIS DA A21E
Desenvolver a cidadania activa na comunidade escolar
Estimular a criação de parcerias entre a comunidade escolar e instituições locais ou com intervenção na escola
Envolver a comunidade escolar na melhoria da qualidade do ambiente físico e social
“Dar poder” às crianças e jovens
Contribuir para a formação e envolvimento dos encarregados de educação e auxiliares de acção educativa


grupojovensnarua
RAZÕES PARA IMPLEMENTAR A A21E*
Aumenta a motivação dos alunos e educadores e estimula uma educação activa
É um projecto que parte da escola e não é imposto por nenhuma entidades externa
Melhora os níveis de comunicação inter-institucional
É um projecto de continuidade
Estimula a criação de parcerias
Contribui activamente para a formação de crianças, jovens e adultos (todos os parceiros)
É um motivo para captar recursos
Necessita de uma organização e planeamento orientadores
Facilita o envolvimento da família no processo, aproximando-a da escola
É um trabalho cooperativo
Não se trabalham sectores desconexos sem uma ligação e visão holística motivadora
Permite o reconhecimento da escola e das autarquias apoiantes.

 



Publicado por marquesarede às 10:21
Link do post | comentar | favorito

JUNTOS

12531-00-07

Em 25 de Março de 2007, por toda a Europa, vão ser celebrados os 50 anos da assinatura dos Tratados de Roma, através de um conjunto de iniciativas.

Recorde-se que, naquele mesmo dia, há cinquenta anos, seis países europeus assinavam dois Tratados históricos -   a criar a Comunidade Económica Europeia e a Comunidade Europeia da Energia Atómica -, dando início a uma caminhada de meio século que hoje congrega já vinte e sete países.

Em Portugal, um dos eventos mais relevantes destas comemorações, com um valor simbólico mas também, e em simultâneo, com uma efectiva presença no terreno e mobilização de cidadãos um pouco por todo o país, designa-se 'O que nos toca'. Participam na organização e gestão deste projecto: as instituições europeias com representação em Portugal - Parlamento Europeu e Comissão Europeia -, a Associação Nacional dos Municípios Portugueses, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Ministério da Educação (GAERI) e a Confederação Musical Portuguesa em estreita ligação com as respectivas Federações Distritais e outras estruturas de enquadramento existentes a nível local.
Ligação ao 'site' oficial das Comemorações a nível da União Europeia (clique aqui)



Publicado por marquesarede às 10:16
Link do post | comentar | favorito

Comemorar o Tratado de Roma

 

Criança brinca com estrela-do-mar na praiaA assinatura do Tratado de Roma, a 25 de Março de 1957, uniu várias nações no seio de uma grande família europeia. Cinquenta anos depois, estamos cada vez mais próximos. Embora continuemos a ser diferentes do ponto de vista da cultura, da língua e das tradições, a nossa união baseia-se em valores comuns:a liberdade, a democracia, o Estado de Direito, o respeito pelos direitos humanos e a igualdade. Cinquenta anos depois, há muito para festejar.

Paz e estabilidade

Cinquenta anos sem nenhuma guerra entre os países que fazem actualmente parte da União Europeia (UE) é um facto histórico sem precedentespara o qual muito contribuíram a integração e o alargamento de seis para 27 países. A União Europeia tem, além disso, sido também um arauto da paz no mundo.

Liberdade e democracia

A democracia é um dos principais valores comuns da Europa. Entre esses valores, destaca-se o da liberdade, que a União Europeia consagrou acrescentando‑lhe novos matizes como a liberdade de circulação de pessoas e de bens além‑fronteiras. Os cidadãos da União podem estudar, trabalhar e viver em qualquer país da UE com um mínimo de trâmites burocráticos, assim como beneficiar das vantagens sociais e no domínio da saúde em todos os Estados-Membros. É possível viajar em cada vez mais países da UE sem precisar de passaporte. A UE lançou também as fundações de um espaço onde as fronteiras já não são um obstáculo à justiça nem à liberdade.

Prosperidade

Os cidadãos da UE beneficiam de alguns dos níveis de vida e sociais mais elevados do mundo. E é precisamente essa a via que a Europa escolheu:assegurar o equilíbrio entre o aumento da prosperidade e o modelo social europeu. Mas uma pujança económica integrada também implica responsabilidades à escala mundial, o que a UE tem procurado reflectir nas suas políticas comercial e de ajuda.

Emprego e crescimento

Trabalhar em conjunto permitiu criar um mercado único: o maior espaço de comércio livre do mundo, uma moeda única partilhada pela maioria dos cidadãos europeus e normas comuns de protecção do ambiente e de segurança dos produtos. A conjugação destes factores fomentou o emprego e o crescimento e alargou o nosso leque de escolhas de produtos e serviços a preços competitivos.

Trata-se, sem dúvida, de resultados únicos que merecem ser festejados, mas não devemos comemorar apenas o passado. Temos uma oportunidade única de compreender melhor o presente, de nos voltarmos para o futuro e de debatermos a Europa que queremos.

Um aniversário como este não deve ser festejado apenas um dia. Assim, durante todo o ano, serão organizados vários eventos e festejos em toda a Europa. Esperamos que se divirtam! 



Publicado por marquesarede às 09:59
Link do post | comentar | favorito

Cimeira Europeia da Juventude

Nos dias 24 e 25 de Março de 2007, mais de 200 jovens dos 27 Estados-Membros reunir-se-ão na capital italiana, naquela que será a primeira Cimeira Europeia da Juventude, para assinalar o aniversário da assinatura do Tratado de Roma em 1957. Esta cimeira permitirá aos jovens de todo o continente manifestar as suas opiniões sobre a Europa actual e revelar as suas expectativas em relação ao futuro. As conclusões deste evento serão comunicadas aos dirigentes europeus, que deverão reunir em Berlim, nesse mesmo fim-de-semana.

As instituições da UE[1] estão a unir forças com o Fórum Europeu da Juventude para organizar aquela que será a primeira Cimeira Europeia da Juventude, em Roma, nos dias 24 e 25 de Março de 2007. A cimeira terá lugar no Campidoglio, o mesmo edifício em que o Tratado de Roma foi assinado pelos seis Estados-Membros fundadores (Itália, Alemanha, França, Luxemburgo, Bélgica e Países Baixos), há 50 anos. O objectivo da Cimeira Europeia da Juventude é reconhecer as realizações europeias, mas sobretudo olhar para o futuro da Europa.

A Vice-Presidente Margot Wallstrom, responsável pelas Relações Institucionais e Estratégia de Comunicação, declarou que «Este 50.º aniversário constitui o momento para celebrar as realizações do passado e reflectir sobre os desafios e as oportunidades do futuro. A União juntou de novo a Europa, tornou-a mais forte e ofereceu liberdade, estabilidade e prosperidade aos nossos cidadãos. Todavia, à medida que a UE cresce e as sociedades se desenvolvem, a questão da integração europeia também evolui. Esta cimeira representará uma oportunidade sem precedentes para debater esta União Europeia "em movimento"».

Por sua vez, o Comissário Europeu responsável pela Educação e Juventude, Ján Figel, salientou que «Os cidadãos de hoje serão os cidadãos europeus de amanhã e, quanto mais cedo participarem em debates e fóruns sobre o seu futuro europeu, melhor poderão enfrentar os próximos desafios».

Mais de 200 jovens participantes de todas as esferas da vida social, e dos 27 Estados-Membros da UE, participarão neste evento. Haverá seis participantes de cada Estado-Membro, mais 30 representantes das ONG internacionais de jovens e oito representantes do Fórum Europeu da Juventude. Quatro dos seis participantes nacionais serão seleccionados através de debates de jovens realizados aos níveis nacional, regional e local, entre Janeiro e princípios de Março.

Os jovens começaram a preparar-se para esta cimeira numa reunião em Bruxelas, nos dias 17 a 20 de Janeiro de 2007. Com base nas conclusões adoptadas nesta reunião preparatória, os conselhos nacionais de juventude em todos os Estados-Membros da UE começaram a organizar debates nacionais, em estreita colaboração com os serviços de representação da Comissão, os serviços de informação do Parlamento Europeu e as agências nacionais do programa «Juventude em Acção», o novo programa de financiamento da UE no domínio da juventude. Estes debates nacionais permitirão envolver os jovens aos níveis nacional, regional e local e seleccionar os seus representantes, de modo a assegurar uma preparação da cimeira de forma ascendente, partindo da base para o topo.

A abertura da Cimeira Europeia da Juventude, em Roma, decorrerá no Sábado, dia 24 de Março, na Universidade de Roma (Roma III, Faculdade de Literatura). Da parte da tarde, os jovens serão divididos em seis grupos de trabalho para debaterem:

  • o futuro do Tratado da UE,
  • o modelo social e económico da UE,
  • o desenvolvimento sustentável,
  • o papel da UE num mundo globalizado,
  • a democracia e a sociedade civil,
  • a juventude e a educação.

No domingo, dia 25 de Março, a cimeira reunirá todos os jovens no edifício Campidoglio, para uma sessão plenária, onde serão adoptadas as conclusões e mensagens finais sobre o futuro da Europa. Estas conclusões servirão de base para o diálogo estruturado entre jovens europeus e as Instituições Europeias nos próximos anos. Será organizada uma mesa redonda, que permitirá aos jovens debaterem igualmente as mensagens com a Vice-Presidente Wallström, com o Comissário Europeu Figel e com os representantes das outras instituições comunitárias. O debate estará acessível ao público via Internet.

A Cimeira Europeia da Juventude, em Roma, decorrerá paralelamente ao Conselho Europeu informal de Berlim, no dia 25 de Março de 2007, onde os chefes de Estado e de Governo adoptarão uma declaração política estabelecendo os valores e ambições da União Europeia.

A Cimeira Europeia da Juventude deverá representar o primeiro passo no sentido de um diálogo e debate que permita envolver os jovens e as organizações de juventude e conduzir à sua preparação e mobilização para as eleições europeias em 2009.

Os jovens europeus têm um papel crucial a desempenhar no palco europeu. São importantes multiplicadores da ideia europeia, que está reflectida no novo programa «Juventude em Acção», que entrou em vigor em Janeiro de 2007. O objectivo é oferecer apoio financeiro à mobilidade dos jovens e aos projectos profissionais dos jovens até 2013. No próximo mês de Junho, realizar-se-á a Semana Europeia da Juventude, em Bruxelas, com o objectivo de divulgar os resultados dos projectos juvenis financiados no âmbito do anterior programa «JUVENTUDE» e dar continuidade ao debate lançado entre os jovens e os dirigentes políticos.

Para mais informações, ver:

http://50.europa.eu

http://europa.eu/youth/

http://ec.europa.eu/youth/index_en.html



Publicado por marquesarede às 09:50
Link do post | comentar | favorito

Agenda 21 Escolar
quadroagenda21escolar
Em Portugal existem alguns projectos de Agenda 21 Escolar. Quase todos a dar os seus primeiros passos, mas já começa a ser possível compilar alguma informação sobre os municípios e escolas que optaram por investir nestes processos. Pode encontrar aqui um reflexo do que se tem feito. De notar que uma Agenda 21 Escolar é uma adaptação para a realidade escolar dos princípios e métodos da Agenda 21 Local pelo que há três condições mínimas para considerarmos que uma escola está a aplicar um processo desta natureza: o compromisso do conselho executivo, a criação de um fórum de participação alargado à comunidade, a introdução dos princípios da Agenda 21 no projecto educativo da escola.

Se tiver mais informação sobre processos em curso de Agenda 21 Escolar em curso no nosso país por favor envie-a para mapinto@esb.ucp.pt .



Publicado por marquesarede às 09:49
Link do post | comentar | favorito

Quadro de Referência
Quadro de Referência Estratégico Nacional 2007-2013

logotipo_qcaiiiO Conselho de Ministros de 11 de Janeiro aprovou o Quadro de Referência Estratégico Nacional que define a aplicação dos 21,5 mil milhões de euros dos fundos da União Europeia entre 2007 e 2013.

Definem-se três Agendas: Agenda para o Potencial Humano, destinada a promover as qualificações escolares e profissionais, o emprego, a inclusão social e a igualdade, com cerca de 37% dos fundos (mais 10% do que no Quadro anterior); Agenda para os Factores de Competitividade, que visa a qualificação do tecido produtivo, por via da inovação, do desenvolvimento tecnológico, do empreendedorismo e da redução dos custos de contexto; Agenda para a Valorização do Território que visa dotar o país de melhores condições de atractividade para o investimento produtivo e de condições de vida para as populações. QREN on-line em http://www.qren.pt/


Publicado por marquesarede às 09:46
Link do post | comentar | favorito

Pegada Ecológica
Um mundo não (nos) chega - a nossa Pegada Ecológica

earthday2002Com o intuito de instaurar uma consciência generalizada, duas ONG´s fizeram um inquérito para determinar qual a «pegada ecológica» de cada um. O inquérito é da autoria das ONG's americanas, Earth Day Network e Redefining Progress e visa analisar o estilo de vida, nomeadamente a alimentação, o tipo de habitação, bem como os meios de transporte mais utilizados. FAÇA O TESTE

O cálculo da Pegada Ecológica passa por somar as várias parcelas de terreno produtivo (terra e mar) necessárias para produzir os recursos utilizados e assimilar os resíduos produzidos por uma dada unidade de população. Por comparar a utilização dos recursos naturais com a capacidade da Natureza em os fornecer, a Pegada Ecológica serve como indicador de sustentabilidade - ou insustentabilidade, no caso de haver défice ecológico.



Publicado por marquesarede às 09:40
Link do post | comentar | favorito

DIA MUNDIAL DA ÁGUA

DIA MUNDIAL DA ÁGUA 2007

dmd2007 

'Lidar com a escassez de água" é o tema deste ano para o Dia Mundial da Água, que é celebrado anualmente no dia 22 de Março. O tema deste ano destaca o crescente significado da escassez de água em todo o mundo e a necessidade de aumentar a integração e a cooperação por forma a garantir uma gestão sustentável, eficiente e equitativa deste recurso, quer ao nível internacional, quer ao nível local.

Este tema foi seleccionado entre todos os membros da UN Water na Semana Mundial da Água que decorreu em Estocolmo em Agosto de 2006.  A FAO é a coordenadora do evento en nome de todas as agências das Nações Unidas e Programas membros da UN-Water.

Na página da UN Water podem ver-se filmes, slide-shows e descarregar materiais informativos e promocionais gratuitamente. Pode ainda registar a sua iniciativa para assinalar o Dia Mundial da Água e fazer parte do mapa mundial de entidades que celebraram este dia activamente. Veja mais aqui



Publicado por marquesarede às 09:35
Link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 14 de Março de 2007
Novas Oportunidades
Os ministérios da Educação e do Trabalho e da Solidariedade Social lançam campanha conjunta com o objectivo de valorizar e promover a aprendizagem e estimular a procura de formação profissional, no âmbito da iniciativa Novas Oportunidades.

A partir do final deste mês, irá decorrer uma campanha de mobilização social, lançada no âmbito da iniciativa Novas Oportunidades, que visa valorizar o processo de aprendizagem e estimular a procura de formação profissionalizante.

Numa primeira fase desta campanha, diversas figuras do mundo do desporto, da moda e do espectáculo irão dar a cara em spots na comunicação social subordinados ao lema "Se não tivesse estudado, não teria chegado onde estou".

A segunda fase da campanha, que irá arrancar durante as férias da Páscoa, terá como frase-chave "Acaba o secundário aprendendo uma profissão". Com este mote pretende-se atrair os estudantes para as ofertas profissionalizantes que, não só conferem um diploma escolar como, simultaneamente, preparam os jovens para entrar no mundo do trabalho com uma qualificação.

Com o regresso às aulas depois deste período de férias, surgirá uma outra campanha lançada pelo Ministério da Educação (ME), em parceria com a Associação Nacional de Municípios. Os protagonistas passam a ser os alunos dos estabelecimentos de ensino da rede pública, e com o slogan "Todos juntos poderemos melhorar a escola", pretende-se valorizar a escola pública, nomeadamente a aprendizagem da Matemática, o ensino do Inglês e a aposta no desporto escolar.

Segundo o ME, as férias da Páscoa «representam um momento crítico para muitos alunos» uma vez que cerca de 45 mil alunos já não regressam à escola no início do terceiro período. Anualmente abandonam a escola, nesta altura do ano, entre 18 e 20 mil alunos de 15/16 anos que frequentam o 7.º ano, a que se juntam entre 20 e 25 mil estudantes com 18 anos que estão matriculados no 10.º ano.

No último ano lectivo esta situação foi menos notória devido ao aumento das ofertas de formação profissionalizantes, que captaram 10 mil alunos no Ensino Básico e 15 mil no Secundário. Ainda assim, para o ME «os resultados estão longe de ser satisfatórios», sendo por isso necessário combater a situação, prevenindo as saídas precoces do sistema educativo e fazendo voltar à escola os alunos que deixaram de estudar. É, aliás, com este objectivo que o Ministério da Educação e o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social vão lançar esta campanha para promover a qualificação de jovens e adultos.

Entretanto está já a decorrer uma campanha destinada aos adultos, lançada em colaboração com a Agência Nacional para a Qualificação. Sob o lema "Aprender compensa", o objectivo é sublinhar a importância da qualificação da população activa, divulgando as ofertas formativas existentes para este público-alvo e a possibilidade de certificar as aprendizagens efectuadas em diversos contextos de vida - para isso, os adultos deverão dirigir-se à rede de Centros Novas Oportunidades distribuída por todo o país.

A iniciativa Novas Oportunidades foi lançada em conjunto pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social e pelo Ministério da Educação, e dirige-se aos jovens que abandonaram ou estão em risco de abandonar o sistema de ensino sem completar 9 ou 12 anos de escolaridade e aos adultos activos com baixas qualificações.


Publicado por marquesarede às 19:11
Link do post | comentar | favorito

Diagnósticos
Educação O diagnóstico das necessidades de educação especial no sistema educativo português deverá estar concluído até final do ano lectivo, anunciou  o secretário de Estado da Educação, Valter Lemos.

O governante falava na sessão de abertura do seminário "A Criança Multideficiente: Que Respostas", que decorreu na vila do Paul, na Covilhã.

"Assim que termine o processo de sinalização de alunos, teremos pela primeira vez uma identificação rigorosa das necessidades no âmbito da educação especial na escola portuguesa", referiu Valter Lemos, que classificou o trabalho como sendo de "extrema importância".

"Permitirá ter a certeza sobre se faltam alguns recursos - e quais - para podermos tomar decisões e optimizar a situação", medidas que o secretário de Estado espera que sejam adoptadas antes da abertura do próximo ano lectivo.

"Hoje temos cerca de 6000 professores na área da educação especial, mas provavelmente há áreas com professores a mais e outras com docentes a menos. Como não havia uma identificação rigorosa da situação, não se podia esperar que houvesse formação adequada às necessidades", sublinha.

"Antes do final do ano escolar espero que, não só o diagnóstico esteja pronto, mas também as medidas correspondentes, para já haver medidas no terreno no próximo ano lectivo", sublinhou, respondendo assim também às preocupações levantadas na abertura do seminário.

Vítor Reis Silva, presidente do agrupamento escolar Entre Ribeiras, que organiza os trabalhos, queixou-se da falta de recursos humanos para acompanhar os alunos com necessidades educativas especiais.

"Que inclusão faz a escola pública? Será um mero espaço de guarda de crianças com multideficiência", questionou aquele responsável, sublinhando a posição expressa em folhetos distribuídos à entrada por dirigentes do Sindicato de Professores da Região Centro (SPRC).

Para Valter Lemos, o número de professores é suficiente na globalidade, mas "poderá não ser em áreas específicas". Salienta, por exemplo, que já foi identificada carência de docentes especializados "para trabalho com alunos cegos e com alunos com multideficiência".

No entanto, realçou que são "situações pontuais", nalguns pontos do país. "Em média, temos recursos suficientes".

Por outro lado criticou a forma como a educação especial funcionava até agora. "A cada ano lectivo havia mais 10 mil alunos com necessidades especiais, sinalizadas de uma forma indiscriminada".

"Sei que é mais fácil para os professores homogeneizar as turmas de acordo com as dificuldades dos alunos, mas a escola pública portuguesa não admite essa segregação", disse o responsável, apontando a inclusão através de turmas heterogéneas como o objectivo central.

"É uma dificuldade com que temos que trabalhar", reconheceu Valter Lemos, em nome de uma "escola pública que não escolhe os alunos".

Reforçando o papel do diagnóstico em curso, sublinhou ser necessário "clarificar inequivocamente quais são os alunos que precisam de educação especializada" com professores formados para o efeito "e quais os que precisam de apoio adicional, que será dado pelos professores que já têm", concluiu.

Neste ano lectivo, cerca de 24 mil alunos do ensino básico e secundário com necessidades educativas especiais recebem apoio, menos 36 mil do que em 2005/2006, de acordo com dados da Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC).

Em Setembro, o director-geral, Luís Capucha, explicou à Lusa que no ano passado 60 mil alunos beneficiavam de apoio ao abrigo da educação especial, um número que integrava, no entanto, casos de dificuldades de aprendizagem e insucesso escolar não decorrentes de qualquer doença ou deficiência.

Para apurar o número de crianças com efectivas necessidades especiais, a DGIDC procedeu em Junho e Julho a um levantamento junto de todas as escolas básicas e secundárias, a partir do qual identificou os cerca de 24 mil alunos que este ano beneficiam de apoio, adiantou o responsável.


Publicado por marquesarede às 19:07
Link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 13 de Março de 2007
CONFAP-Assembleia Geral Extraordinária
A próxima Assembleia Geral da CONFAP, está marcada no Auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro, em Aveiro, pelas 10H00 do dia 14 de Abril de 2007, cuja ordem de trabalhos aqui se enuncia:
 
1.    Ratificação da admissão de Uniões Locais, Uniões/Federações Concelhias e Distritais/Regionais;
2.    Votação dos Pareceres do Conselho de Jurisdição e Disciplina;
3.    Apreciação e votação do relatório, balanço e contas de 2006/2007 da CONFAP e do respectivo parecer do Conselho Fiscal;
4.    Apresentação das listas concorrentes às eleições para os órgãos sociais da CONFAP, para o mandato de 2007/2008, dos programas respectivos, planos de actividades e orçamentos;
5.    Apresentação, discussão e aprovação de Propostas e Moções;
6.    Leitura e aprovação da acta da presente reunião ordinária da Assembleia-Geral;
7.    Apresentação dos resultados eleitorais e tomada de posse dos novos órgãos sociais eleitos.


Publicado por marquesarede às 12:26
Link do post | comentar | favorito

Posts recentes

EVENTOS

SONHAR

MEDIAÇÃO E PSICOTERAPIA N...

RESPONSABILIDADES

QUALIFICAR

ESTUDAR A EDUCAÇÃO

ELEGER

DESEMPENHO

FUSÕES

ESTADOS D'ALMA

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Posts recentes

EVENTOS

SONHAR

MEDIAÇÃO E PSICOTERAPIA N...

RESPONSABILIDADES

QUALIFICAR

ESTUDAR A EDUCAÇÃO

ELEGER

DESEMPENHO

FUSÕES

ESTADOS D'ALMA

Arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Links
subscrever feeds